Praias e Lagoas: Qualidade das Águas

De: Secretaria de Desenvolvimento Sustentável
Criado: 20 de novembro de 2013

Balneabilidade

A Balneabilidade é um procedimento ambiental que avalia as condições sanitárias das águas destinadas à recreação e aos esportes aquáticos, em que ocorre o contato direto do usuário com a água, tanto no banho de mar, como na prática esportiva como por exemplo natação,  mergulho, entre outros.

Em Vila Velha a avaliação da Balneabilidade é feita em 12 pontos da orla marítima de (vide mapa anexo), cujos resultados são obtidos após cinco (05) semanas consecutivas de coletas e análises microbiológicas, em que se verificam os níveis de concentração de bactérias indicadoras da contaminação da água, que no monitoramento realizado pela Prefeitura é constatada pela presença de bactérias da espécie Escherichia coli presentes nas amostras




A Escherichia coli apresenta como hábitat natural o trato intestinal do homem, podendo também ser encontrada em esgotos, nas águas naturais e nos solos que tenham recebido contaminação fecal recente. A presença dessa bactéria em número superior a 2000 nmp/100 ml (2000 número provável de bactérias por 100 mililitros de amostra d’água) indica a existência de microrganismos patogênicos na água, que podem causar doenças infecciosas ao homem, como a gastroenterite (diarreia), a infecção urinária e a cistite (inflamação no trato urinário). Vale ressaltar que a Escherichia coli colabora com o funcionamento correto do trato digestivo do homem, atuando no processo de absorção dos nutrientes.
A partir dos resultados de análise laboratorial as águas são classificadas em PRÓPRIAS ou IMPRÓPRIAS para o uso recreativo ou esportivo, nos quais ocorrem contato primário da pessoa com a água.
A Balneabilidade das praias e lagoas estão indicadas em placas instaladas nos locais monitorados pela Prefeitura de Vila Velha. A placa VERDE indica que a água está PRÓPRIA e a placa VERMELHA indica IMPRÓPRIA, servindo de alerta para que os banhistas evitem utilizar os locais impróprios para o banho. As trocas dessas placas são feitas de acordo com os resultados das análises microbiológicas realizadas nas últimas cinco semanas, conforme instruções contidas na Resolução CONAMA nº 274/2000.
De acordo com a Resolução 274/2000 do CONAMA, as condições são consideradas SATISFATÓRIAS quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras obtidas em cada uma das cinco semanas anteriores, colhidas no mesmo local, houver, no máximo 800 Escherichia coli por 100 mililitros. Será também classificada como IMPRÓPRIA se o valor obtido na última amostragem for superior a 2000 Escherichia coli por 100 mililitros ou havendo a presença de resíduos ou despejos, sólidos ou líquidos, inclusive esgotos sanitários, óleos, graxas e outras substâncias, capazes de oferecer riscos à saúde ou tornar desagradável a recreação.
As chuvas intensas são um dos fatores naturais que pode alterar as condições de balneabilidade das praias. Por essa razão, recomenda-se que até 24 horas após as chuvas não se deve tomar o banho de mar.
Semanalmente divulgamos no site da PMVV e nas placas da Balneabilidade nos 12 pontos monitorados, as condições de balneabilidade das praias e lagoas monitoradas pela Secretaria de Desenvolvimento Sustentável. 


Conscientizar a população sobre a educação ambiental e fornecer informações sobre a balneabilidade de praias e lagoas é dever da municipalidade.