Administração e Planejamento - Plano de Cargos - Quadro Geral

Servidores passaram a contar com o Plano de Cargos em 2011.

Em outubro de 2011 os servidores de Vila Velha receberam um estímulo ao desenvolvimento profissional com a aprovação do Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos do quadro Técnico e Administrativo.
 
O Plano faz parte da política de valorização dos servidores, sendo um instrumento gerencial de planejamento de gestão de pessoas. O objetivo é valorizar o conhecimento, habilidades, atitudes e desempenho. Estão contemplados os servidores do quadro geral e da saúde que tiveram um reajuste médio de 35%. 

A aplicação do Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos será feita a partir de critérios técnicos estabelecidos pela Lei 5.203/2011 e Lei 5.204/2011.
 
O Plano obedece critérios de enquadramento, progressão e promoção. O servidor terá o seu salário enquadrado em uma tabela salarial de Classes e Referências onde estas referências possuem níveis de salários de 1 a 15. A partir da referência 1, para o enquadramento, considera-se a evolução de um nível a cada 6 anos de trabalhos prestados. Feito este enquadramento inicial, os servidores poderão ter progressões nos vencimentos a cada três anos.

Classe/ Referência 1 2 3 4 5 6 7
I 1.700,00 1.751,00 1.803,53 1.857,64 1.913,37 1.970,77 2.029,89
8 9 10 11 12 13 14 15
2.090,79 2.153,51 2.218,12 2.284,66 2.353,20 2.423,80 2.496,51 2.571,41

Exemplo: nível superior com 24 anos de trabalho – avança quatro referências a partir do nível 1, portanto, será enquadrado na referência 5  e o salário base será de R$ 1.913,57.
               
Quanto a promoção por escolaridade, o servidor que tiver nível de escolaridade superior ao exigido pelo cargo que ele ocupa, avança três níveis de referência. Em casos de mestrado e doutorado, o servidor avançará 4 e 5 referências respectivamente.
 
A partir do enquadramento, a cada três anos o servidor passará por uma Avaliação de Desempenho e poderá evoluir nas referências da sua Classe, sendo cada nível equivalente a 3% de acréscimo. Antes da nova lei, o percentual era de apenas 0,5%.

Mais informações: (27) 3149-7964