Justiça Federal suspende decisão para demolição de três quiosques na orla


De: Secretaria de Defesa Social e trânsito, Secretaria de OBRAS, Secretaria de Serviços Urbanos, Secretaria de Procuradoria Geral
Texto: Vandique Magalhães| Foto: Felix Falcão
Criado: 18 de abril de 2019

O juiz da 3ª Vara Civil da Justiça Federal, Ailton Bonono Júnior, suspendeu por 10 dias a decisão de desocupação e demolição de três quiosques na Orla de Itaparica. Emitida na tarde desta quinta-feira (18), a decisão substituiu a ordem anterior, que já estava em curso desde o período da manhã.

A suspensão se deu em função de um pedido do advogado João Lunardi, defensor da proprietária do quiosque Black Tie para que ele possa impetrar um recurso contra a decisão judicial. O advogado alegou que a concessionária do quiosque não foi comunicada na ocasião da última intimação do processo realizada em março desse ano. A medida suspensiva também beneficiou os donos dos quiosques Rei da Praia e Viva a Natureza.

O processo judicial para a demolição dos quiosques estava em curso desde a manhã desta quinta-feira, com acompanhamento da oficial da Justiça Federal Thaiz Vieira Moraes Antunes. A desocupação do quiosque Black Tie estava na fase final, com a retirada de todos os utensílios.

Também os proprietários dos quiosques Rei da Praia e Viva a Natureza foram notificados para realizar a desocupação dos estabelecimentos em 24 horas. Por solicitação da Justiça Federal, a ação teve o apoio de servidores, máquinas e caminhão da Secretaria de Obras da Prefeitura de Vila Velha.

A proprietária do quiosque Black Tie, Amelina Kruguel, 60 anos, disse “ser uma injustiça o que estavam fazendo com ela. Eu trabalho aqui há 30 anos”, alegou. Os outros dois concessionários, Pablo Lincon da Silva, 43 anos, do quiosque Viva a Natureza e Avelina Rosi Marinho, 74 anos, dona do Rei da Praia, também estranharam a decisão judicial.


SERVIÇOS PARA


ACESSO RÁPIDO