Política de juventude: Nação Mulher e Coletivo Nísia


De: Secretaria de Governo e Coordenação Institucional
Texto: Rafaela Maia| Foto: Divulgação
Criado: 19 de março de 2019

Por meio do programa “Conexão Jovem” a Prefeitura de Vila Velha promove a integração da juventude do município. Nesta ação destacam-se os coletivos e outras atividades culturais, apoiados pela Secretaria Municipal de Governo e Coordenação Institucional (Semgov).
 
Parte deste trabalho, a “Nação Mulher” é uma rede de apoio nacional aos coletivos, existente em 14 estados e no Distrito Federal. O grupo aborda a produtividade de mulheres dentro do movimento hip-hop, abrangendo os cinco elementos do movimento que são:  break, grafite, Mc’s (letra e rima, mestre de cerimônias), Dj’s e o conhecimento e o movimento literário que é a base de todos os elementos do movimento hip-hop. Assim, a rede vai atrás dos coletivos e das mulheres que estão produzindo para dar apoio.
 
Um desses coletivos que a Nação Mulher apoia é o Nísia. Coordenado pela professora de inglês Daniela Andolphi, o grupo surgiu da necessidade do público feminino falar no movimento. O coletivo surgiu no Marista de Terra Vermelha, através de um sarau e um slam (campeonato de poesia escrita autoral, com tema livre), onde predominou a voz feminina, retratando as dificuldades do dia a dia.
 
Vendo a necessidade das mulheres falarem, Daniela juntou as meninas em pequenos encontros para poder conversar sobre as dificuldades. Começou sendo uma roda de conversa e grupo de estudos sobre literatura para poderem escrever e pôr os problemas na escrita. Assim, criou-se o slam do Coletivo Nísia, para dar voz a este tipo de necessidade, onde o assunto mais estudado por ela é do feminismo. Este coletivo é um dos oitos no Brasil só de mulheres, onde os homens só competem.
 
O nome vem de inspiração da Nísia Floresta, uma educadora, escritora e poetisa, considerada pioneira do feminismo no Brasil. De acordo com Daniela, o projeto também foi acolhendo aos poucos o público LGBT. Hoje elas dão palestras em universidades, promovem eventos e participam de concursos de slam. Atualmente o coletivo conta com 56 participantes.
 
“Precisamos de mais meninas, mais potência, não precisa escrever para estar no Nísia, não somos um grupo de escritoras, somos um grupo de meninas fortes que estão fortalecendo as outras mulheres. Toda menina é bem-vinda”, ressalta Daniela.
 
 


SERVIÇOS PARA


ACESSO RÁPIDO