Descarte correto de óleo de cozinha em Vila Velha

De: Secretaria de Meio Ambiente
Texto: Rovena Cruz| Foto: Divulgação PMVV
Criado: 15 de agosto de 2018
Você sabia que um litro de óleo pode contaminar 20 mil litros de água? Por isso é importante o descarte correto do líquido. Os comerciantes de Vila Velha estão dando destino certo ao óleo que não tem mais serventia na cozinha de seus estabelecimentos. A ação evita que o óleo seja descartado indevidamente em ralos e pias.

O óleo reaproveitado pode ser utilizado na produção de resina para tintas, sabão, detergente, glicerina, ração para animais e até biodiesel.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) informa que foram descartados, no último ano, 250 mil litros de óleo de cozinha de forma correta. Eles foram coletados pelas cinco empresas licenciadas por órgãos ambientais além da fábrica de sabão ecológico Instituto Verde Vida, em Ataíde.     

O secretário da Semma, José Vicente de Sá Pimentel, alertou que o óleo destinado de maneira incorreta contamina a água e prejudica a vida de muitas espécies que vivem em rios e represas. “Em contato com o solo, o líquido pode impermeabilizá-lo, o que contribui com enchentes e alagamentos”.

Alvará

A Lei 5.252/2012 institui o Programa Municipal de Coleta, Reciclagem de Óleos e Gorduras Usadas de Origem Vegetal e Animal em Vila Velha. Pessoas físicas e jurídicas que utilizam em sua atividade comercial o óleo de cozinha precisam fazer o descarte correto em empresas licenciadas pela Prefeitura.

Restaurantes, lanchonetes e bares de Vila Velha que fazem uso do óleo de cozinha na preparação de alimento só conseguem a renovação do alvará sanitário, expedido pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), comprovando obrigatoriamente, por meio de recibos emitidos pelas empresas cadastradas, a destinação adequada do óleo usado.
 

SERVIÇOS PARA


ACESSO RÁPIDO