Prefeitura apresenta alternativa à demolição de quiosques

De: Secretaria de Governo
Texto: Jô Amado| Foto: Felix Falcão
Criado: 08 de junho de 2018
Numa tentativa de reverter a decisão da juíza Maria Claudia de Garcia Paula, da Justiça Federal, que determinou a demolição de 46 quiosques nas praias de Itapoã e Itaparica, em Vila Velha, o prefeito Max Filho apresentou, na tarde dessa terça-feira (5), um projeto de reurbanização da orla.

A exposição do projeto foi feita por Edson Bezerra Pereira, da Secretaria Municipal de Obras (Semob), na sala de reuniões do gabinete do prefeito Max Filho, com a presença de grande parte do secretariado, do superintendente da Superintendência de Patrimônio da União (SPU) no Espírito Santo, José Carlos Machado, e de seis proprietários de quiosques.

“Nós estamos dialogando em torno do cumprimento da decisão judicial e pretendemos apresentar à juíza e ao Ministério Público uma alternativa de um projeto de requalificação para a orla de Itapoã/Itaparica. Seria uma reforma de segunda geração. Fizemos a reforma da primeira geração em nossa primeira passagem pela Prefeitura”, declarou Max Filho.

Na segunda-feira (4), a Prefeitura de Vila Velha já havia anunciado que iria recorrer para suspender a decisão da juíza. O procurador Geral do Município, José de Ribamar Lima Bezerra, argumentou que o caso ainda não foi a julgado em todas as instâncias e que a ordem de demolição só poderia ser dada depois que todos os recursos fossem esgotados.

Em relação ao projeto de reurbanização apresentado, o superintendente José Carlos Machado disse que ele “equaciona o interesse dos moradores e visitantes de Vila Velha e neste momento é importante construir um projeto viável para apresentar ao Ministério Público”. “Da parte da SPU, nós nos propomos a colaborar para uma solução satisfatória”, concluiu.

Paulo Roberto Neves, presidente da Associação dos Quiosqueiros, declarou que “considerando a ameaça de demolição, o projeto é ótimo”, mas ponderou que é necessário conhecer melhor a proposta.

O prefeito Max Filho encerrou a reunião ressaltando que o projeto deve ser encarado com seriedade. “Com o apoio da SPU, vamos tentar suavizar o impacto e propor um pacto no sentido de reverter a decisão da justiça”.

SERVIÇOS PARA