Prefeitura intensifica abordagem social da população de rua

De: Secretaria de Assistência Social
Texto: Érico Miranda| Foto: Divulgação
Criado: 04 de agosto de 2017

Desde janeiro de 2017 a Prefeitura de Vila Velha, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), intensificou o atendimento às pessoas em situação de rua que transitam pela cidade.

Entre 15 de maio e 16 de julho o Serviço Especializado em Abordagem Social (Seas), que integra a Semas, atendeu a 277 pessoas em situação de rua em Vila Velha. Este tipo de público migrou por 24 bairros do município. Neste grupo, todos os abordados foram avaliados pelos técnicos da Prefeitura como aptos a ingressar ou serem reinseridos no mercado de trabalho. Em junho foram identificadas 169 pessoas em situação de rua, na cidade.
 
“A Semas trabalha com o objetivo de gerar autonomia à população em situação de rua. Não podemos perpetuar o problema. Atuamos pela retomada da dignidade de cada indivíduo. Por isso, a Prefeitura de Vila Velha já iniciou com sucesso as primeiras reuniões para a criação de oficinas profissionalizantes no Centro Especializado para Pessoas em Situação de Rua (Centro Pop). Alguns usuários do sistema não querem participar do processo, mas um grupo numeroso aderiu ao projeto”, afirmou a secretária municipal de Assistência Social, Ana Cláudia Pereira Simões Lima.
 
Em fevereiro de 2017, a Prefeitura de Vila Velha dobrou o número de técnicos do Seas: eram sete na gestão anterior e atualmente são 14. Boa parte do trabalho de abordagem realizado pela Semas é feito em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), pois das 277 pessoas em situação de rua abordadas, 131 delas apresentaram sinais de embriaguez e uso de drogas ilícitas. Este grupo é encaminhado para o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Outras Drogas (CAPS-AD), vinculado à Semsa.
 
"Nos sete primeiros meses de 2017 o serviço de abordagem social avançou muito em Vila Velha. A equipe do Seas foi ampliada e passou a contar com uma sede própria, no Centro. Hoje, nós conseguimos monitorar toda a cidade e o movimento das pessoas em situação de rua”, declarou a coordenadora do Seas, Jamille Rodrigues Waiandt. 

SERVIÇOS PARA

ACESSO RÁPIDO