Grande Terra Vermelha participa de assembleia do Orçamento Participativo

De: Secretaria de Planejamento e Projetos Estratégicos
Texto: Syria Luppi| Foto: Claudiano Gomes
Criado: 09 de agosto de 2017

Moradores de 21 bairros da Grande Terra Vermelha se reuniram para a Assembleia do Orçamento Participativo realizada nesta terça-feira (08), na UMEF "Christiano Dias Lopes", no bairro São Conrado, para conhecer as 273 propostas listadas pelo Poder Executivo como viáveis de entrar no orçamento de 2018.
 
No mês de maio, foram realizadas quatro assembleias microrregionais para toda a região. Nelas, a população listou 385 propostas relacionadas a segurança, esporte e lazer, infraestrutura, educação e saúde.
 
Desse grupo de propostas, o secretariado municipal elegeu 70% delas viáveis técnica e financeiramente. “Foi a região que teve o maior número de ações relacionadas pela administração municipal”, destacou o secretário municipal de Planejamento e Projetos Especiais, Ricardo Santos.
 
José Fernandes, morador de Santa Paula 2, pontuou que o percentual é reflexo das carências da região. “Precisamos que o poder público olhe mais pela Grande Terra Vermelha. Temos bairros inteiros sem uma rua sequer pavimentada. Sem contar nossas carências de creche, iluminação, saúde, segurança”. A assembleia contou com a participação de 107 pessoas.
 
Justificativas
 
Os secretários municipais presentes tiveram a oportunidade de conversar com os moradores sobre os projetos relacionados e justificaram algumas negativas de inserção no orçamento. Roberto Beling, da Educação, pontuou que as demandas por escolas de tempo integral, por exemplo, não serão absorvidas por enquanto. 

“Estamos estudando essa proposta, pois, na atual situação, abrir uma escola de tempo integral significa retirar um contingente grande de alunos de um período. Ele esclareceu ainda a dificuldade de encontrar áreas para novas escolas na região com titularidade. “Para captarmos recursos junto aos governos Estadual e Federal, precisamos apresentar uma área legalizada e na região há muitas ocupações irregulares, infelizmente”.
 
A subsecretária municipal de Saúde Gleide Mara Marinho Carone, destacou a demanda de finalização da obra da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Riviera da Barra. A obra começou em 2012 e parou três anos depois. “A Prefeitura já retomou o convênio e estamos levantando os custos para finalizarmos a obra ainda nessa gestão. É uma demanda urgente, pois 22% dos atendimentos do Pronto Atendimento da Glória são de moradores da Região 5”.
 
Outra unidade que será retomada na região é o Caps-i, em Jabaeté, anteriormente previsto para ser um Centro de Tratamento de Toxicômanos (CTT). O projeto é uma parceria com o Governo do Estado e será direcionado para atendimento de crianças com distúrbios psiquiátricos – o único de Vila Velha.
 
A coordenadora do Orçamento Participativo Lilian Damasceno esclareceu que a votação online está aberta para a população escolher três demandas de cada microrregião. No total, serão 51 em que os delegados eleitos pelas comunidades escolherão como prioridade máxima no dia 14 de setembro, quando acontecerá o Fórum de Delegados – última etapa do Orçamento Participativo.


SERVIÇOS PARA

ACESSO RÁPIDO