Trinta anos depois, camponês em situação de rua vai reencontrar família

De: Secretaria de Assistência Social
Texto: Érico Miranda| Foto: Felix Falcão
Criado: 05 de julho de 2017

Trinta anos, 835 quilômetros de distância e vidas separadas por diversas circunstâncias. Quando ainda era um menino que sonhava em ser jogador de futebol, Josué Pereira Pinto tomou uma decisão que mudaria sua história. Ao fugir de casa com apenas 9 anos de idade ele deixou para trás a pequena Iperó, no interior de São Paulo, e também uma família com muita saudade e incertezas sobre seu paradeiro.
 
Hoje, aos 39 anos, Josué é uma das 13 pessoas assistidas pela Prefeitura de Vila Velha (PMVV) que vivem no Abrigo Bom Samaritano, em Santa Rita, e contam com o trabalho da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) para retornar ao convívio familiar e retomar a dignidade. Atualmente transitam pela cidade 193 pessoas em situação de rua. Cento e sessenta delas são de outros estados e até mesmo de países de outros continentes, como Europa e África.
 
Em maio, a PMVV abriu processo de licitação para que o serviço de transporte com a finalidade de reinserir socialmente pessoas em situação de rua volte a ser realizado no município. O contrato com a última empresa terminou em abril.
 
“Saí de casa quando era apenas uma criança. Meus pais mudavam-se constantemente em busca de trabalho. Eu sonhava com uma vida melhor, mas reconheço que tomei a decisão errada. Hoje, graças ao trabalho da Prefeitura de Vila Velha pude localizar meus sete irmãos, minha mãe e meu pai. Não falava com minha família desde 1987. Eles nem sabiam se eu estava vivo ou morto. Passei por muitas dificuldades, mas quando ouvi meu pai (o marceneiro Benedito Nunes) falar comigo ao telefone, aqui no Bom Samaritano, nós dois choramos muito. Não tem como não ficar emocionado. Sinto muita falta do carinho de minha mãe, falei isto com ela. Vou pedir perdão aos meus familiares”, afirmou Josué, que é camponês, jardineiro e atualmente também realiza a coleta de material reciclável.
 
Além do Espírito Santo, Josué passou por outros seis estados: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Goiás. Ele deve voltar para casa até esta sexta-feira (07).
 
“Sempre quis conhecer o Espírito Santo. Vim de Belo Horizonte para cá. Alguns trechos foram percorridos de ônibus, outros de carona em caminhões, mas encarei muitos quilômetros a pé, até chegar a Vila Velha. Minha situação se complicou bastante e busquei assistência no Centro Pop (Centro Especializado para Pessoa em Situação de Rua, localizado no bairro Divino Espírito Santo). Fui muito bem acolhido lá, assim como estou bem aqui no Bom Samaritano”, declarou.
 
Josué foi recebido há duas semanas pela equipe do Abrigo Bom Samaritano. Na unidade ele foi assistido e orientado pela assistente social da Prefeitura de Vila Velha Nolvina Gomes e uma equipe de outros oito técnicos ligados a Semas.

“Localizamos a família do Josué depois dele ter passado pelo Centro Pop. A partir da abordagem e orientação de nossas equipes encontramos os nomes de seus pais registrados no sistema de Cadastro Único do Centro de Referência em Assistência Social de Iperó. Ele pode se considerar um vencedor, pois passou por muitas adversidades”, ressalta Nolvina.

Leia mais:
Búlgaro em situação de rua acolhido em abrigo de Vila Velha 

SERVIÇOS PARA

ACESSO RÁPIDO