Um novo atendimento aos moradores de rua está sendo elaborado pela Prefeitura de Vila Velha. Serão incrementados os serviços de abrigo, alimentação e higienização pessoal, documentação, assessoria jurídica e a identificação dos familiares. Estão programadas novas abordagens desta sexta-feira (26) até a próxima segunda-feira (30).
 
As mudanças serão implementadas após o estudo realizado pela Secretaria de Assistência Social, que apontou que na orla de Vila Velha há 16 moradores de rua. Na praça Duque de Caxias, são cerca de 40 durante este mês de janeiro.
 
O levantamento apurou o perfil dessas pessoas e concluiu que a maioria não possui documentos pessoais, têm baixa escolaridade e não usam os serviços oferecidos pelo município (Centro Pop). Muitos deles têm algum tipo de doença, vivem nas ruas por conflitos familiares ou perda da moradia, mas possuem algum ente da família do qual se lembram. Nenhum deles possui renda alguma.
 
Segundo a secretária de Assistência Social, Ana Claudia Simões Lima, a nova forma para resolver o problema será intensificada a partir de fevereiro.
 
“A questão está tendo uma nova visão do atendimento social, para que haja recuperação progressiva da população de rua. Essa é a postura adotada pela nova administração municipal”, disse.
 
Ana explicou que a abordagem não pode ser compulsória e o morador de rua precisa aceitar o atendimento e  as indicações dos técnicos.
 
“Por isso, o trabalho das equipes de abordagem tem de adotar um processo lento de convencimento para que as pessoas aceitem mudar sua condição atual e busquem novos caminhos”, completou.
 
 
Providências tomadas pela SEMAS a partir de 10 de janeiro até agora incluíram:
- Reuniões com gerência e equipe do serviço de abordagem de rua
- Levantamento de perfis e problemas dos moradores de rua
- Articulação com a Secretaria Municipal de Saúde para reativação do Consultório na Rua (que foi desativado na gestão anterior)
- Articulação com Secretaria de Serviços Urbanos e a de Defesa Social para manutenção da limpeza e ordem
- Revisão e realinhamento dos serviços oferecidos pelos abrigos para pernoite e Centro Pop: alimentação e higienização pessoal; encaminhamento para providências de documentação; encaminhamento para assessoria jurídica; levantamento de rotina dos abrigos na articulação com os CRAS para identificação dos familiares e estudo social.

MAIS NOTÍCIAS